Roedores

Ratos são hábeis e transmissores de doenças

 

Os ratos são mamíferos da Ordem Rodentia, e têm esse nome em função do hábito de roer, pois precisam desgastar os dentes incisivos, que crescem continuamente. Convivem com os seres humanos desde os tempos mais remotos. São mais de 2.000 espécies espalhadas pelo mundo. Possuem uma capacidade impressionante de adaptação aos ambientes. Os sentidos da audição, olfato, paladar e tato são muito desenvolvidos. Não enxergam bem, de modo que utilizam pouco a visão em seus deslocamentos.

 

Principais espécies

 

As ratazanas (Rattus norvegicus)

Os ratos de telhado ou rato preto (Rattus rattus)

Os camundongos (Mus musculus)

 

Ratazanas ou Ratos de Esgoto

 

As ratazanas são as espécies mais comuns de roedores encontradas no Brasil. Seu corpo é o maior de todas as espécies, possui ótima audição e é sensível a ultrassom. É fácil perceber porque são animais ágeis e já correm quando percebem o perigo. A desratização é um desafio!

 

Tamanho: Até 50 cm (corpo + cauda)

Ratos de Telhado ou Ratos Pretos

Essa espécie é sempre encontrada em grupos. Os ratos de telhado receberam esse nome porque são encontrados no alto de prédios e telhados. Possuem hábitos noturnos.

 

Tamanho: 12,75 a 18,25cm (corpo) + 15 a 22cm (cauda)

Cor: preta

Camundongo

 

O camundongo é a menor das 3 espécies de ratos. É chamado também de mondongo, topolino e catito. Possui hábitos noturnos e seu olfato é altamente desenvolvido.

 

Tamanho: 6,5 a 9,5cm (corpo) + 6,0 a 10cm (cauda)

Cor: Branco ou cinza-acastanhado

 

Hábitos

 

Dentes incisivos com crescimento contínuo são características principais dos roedores. São animais de hábitos noturnos, quando saem à procura de alimento. Hábeis, são capazes de nadar, subir em locais altos, saltar, equilibrar-se em fios e mergulhar.

 

Procuram no lixo doméstico o alimento e por meio do olfato e paladar apurados  têm condições de separar os alimentos de sua preferência e identificar os que estão estragados. Roedores são considerados onívoros, ou seja, alimentam-se de tudo o que serve de alimento ao homem.

 

Questões de saúde

 

Por causa do hábito de roer, podem causar prejuízos em instalações elétricas, ocorrendo em alguns casos curtos-circuitos que podem levar a incêndios. Ratos são responsáveis pela transmissão de diversas enfermidades. Isso acontece por causa de pulgas ou parasitas que eles carregam, capazes de transmitir a leptospirose, tifo, peste bubônica, febre hemorrágica, salmonelose, nefrite epidêmica, sarnas e micoses, dentre outras. 

 

Podem contaminar alimentos, quando em contato, e transmitir doenças, pois com frequência demarcam um território deixando urina ou fezes nas proximidades.

 

Como identificar a presença?

 

  fezes: a presença é um dos melhores indicadores de infestação.

  trilhas: têm a aparência de um caminho bem batido com 5 a 8 cm de largura, sendo encontradas nas proximidades de muros, junto às paredes, atrás de materiais empilhados, sob tábuas e em áreas de gramados;

  roeduras: os ratos roem principalmente materiais como madeira, cabos de fiação elétrica e embalagens de alimentos;

  tocas: são encontradas junto aos solos, muros, entre plantas, e normalmente indica infestação por ratazanas.

 

Como prevenir e afastar os ratos

 

» A prevenção é possível através da adoção de um conjunto de medidas que chamamos de antiratização:

» Acondicionamento correto do lixo: dentro de sacos plásticos, em latas com tampas apropriadamente fechadas e limpas periodicamente, de preferência sobre estrado, para que não fiquem diretamente em contato com o solo;

» Dispor o lixo na rua somente na hora que o coletor passa para recolher;

» Nunca jogar lixo a céu aberto ou em terrenos baldios;

» Acondicionamento correto dos alimentos;

» Inspecionar periódica e cuidadosamente caixas de papelão, caixotes, atrás de armários, gavetas, e todo tipo de material que adentre ao ambiente e possa estar servindo de transporte ou abrigo a camundongos;

» Vedar frestas ou vãos que possam servir de porta de entrada aos ratos para os ambientes internos;

» Colocar telas (com menos de 1 cm de vão de diâmetro), grelhas, ralos do tipo “abrefecha”, sacos de areia ou outros artifícios que impeçam a entrada desses animais através de ralos e encanamentos ou outros orifícios;

» Evitar o acúmulo de entulho ou materiais inservíveis que possam servir de abrigo aos ratos;

» Manter terrenos baldios limpos e murados;

» Manter limpas as instalações de animais domésticos e não deixar a alimentação exposta onde os ratos possam ter acesso, principalmente à noite;

» Vistoriar e manter limpos garagens e sótãos;

» De importância fundamental é a educação da comunidade envolvida, isto é, mudar costumes e hábitos das pessoas como: jogar restos de alimentos, entulhos, papéis nas ruas, terrenos baldios, bueiros, espaços vazios em locais públicos, etc.

 

Como controlar

Além de manter os lixos bem fechados, é preciso buscar medidas para prevenir a infestação dos roedores em seu estabelecimento e a desratização é uma delas.

A desratização dos ambientes se torna portanto uma medida obrigatória, pois diversas áreas (como vistas nessas imagens), não podem e devem receber a visita indesejável dos roedores, ainda que as autoridades sanitárias permitam uma quantidade de pelos de ratos e fragmentos de insetos em diversos alimentos processados.

Fique por dentro
Inscreva-se e receba novidades e conteúdos exclusivos sobre como proteger seu patrimônio e se livrar das pragas.
Já visitou nosso blog?

Saiba como se prevenir das pragas urbanas durante a primavera

Chegou uma  das  épocas mais esperadas: a primavera, que costuma ter um clima ameno, trazer chuvas para nossos reservatórios que tanto precisam, além das flores. Mas, o que muitas pessoas ignoram é que apesar de ser uma época deliciosa também é muito perigosa pois é o período perfeito para proliferação de algumas pragas urbanas.